8 de jan de 2009

2009 Dislexico

Este é o período do ano que mais me atrai, janeiro, férias.
Embora ame a contrariedade, uno-me a massa e tiro minhas férias neste período. Paro completamente. Guardo o celular desligado no fundo da gaveta do criado mudo, uso o laptop apenas para alimentar meus prazeres, como escrever por exemplo.
Dedico-me ao descanso, ao descaso total, levanto-me da cama por prazer, não porque um compromisso me obriga, cada uma das minhas atitudes busca unicamente meu prazer.
Aliás, esta é uma faceta interessante de mim. Outro dia lia sobre Dislexia, e não é que me encantei?! Percebi que os disléxicos são afeitos apenas pelo que os motiva, tem um senso criativo absurdo e até onde pude ver, são muito interessantes. Estranho foi ver como “sintoma” aquilo que considero mais que desejável.

Sintomas:

“Iniciar uma atividade apenas se ela indicar que lhe trará algum prazer”, ora deveria o ser humano se contentar com menos??? Até onde sei somos a única espécie que pode optar por ter prazer, então pra que desperdiçar esse dote???

“Falta de concentração e foco,(...) busca incessante por novos estímulos”. Uau, considerando o universo que se expande rapidamente ao nosso redor, concentração e foco é completa perda de tempo, há tanto que se ver, aprender, absorver, quero tudo...

E por ai vai, estendendo-se numa lista, de desejáveis e adoráveis, sintomas que pra mim, só determinam o prazeroso modo de vida que se deve ter. Portanto, diagnostico-me como uma disléxica, e como isso é bom. E o período em que entro em crise total da minha “doença adorável” é sem dúvida o mês de janeiro.

Portanto, se eu iniciar um post com um tema, e terminar com outro, não estranhe, provavelmente no meio do caminho eu resolvi iniciar uma nova possibilidade de orgasmo, e por falar em sexo, ando curiosa sobre sexo tântrico e o pompoarismo e...