30 de set de 2009

Marcas da Vida Vivida

Sempre vi beleza na velhice, não sabia exatamente porque, mas o rosto marcado pelo tempo sempre teve algo que me chamou atenção.



Hoje, ao observar com mais atenção, alguns pequenos detalhes, entendi essa minha admiração.


Ao ver três senhoras conversando sobre um terrível acidente na região metropolitana de São Paulo, elas deixavam claro o significado de cada ruga.


Uma delas, a que liderava a conversa, tinha a boca expressiva,com lábios que certamente foram carnudos e sedutores na juventude, mas ao calar-se esses lábios de acomodavam de forma naturalmente convexa. Seus olhos acompanham este desenho, e sua afirmativa era fatalista – “...acharam 11 corpos.” – e então seus olhos se perdiam no vazio fora da janela do ônibus.


A segunda, sem piscar seus olhos miúdos, onde não conseguia-se distinguir a Iris da menina dos olhos, consentiu submissa – “...é.” – os lábios desta, finos e inexpressivos, enrugados no canto superior não marcavam qualquer cor naquele rosto, apenas estavam ali, funcionais, e usados sempre com submissão.


A ultima, esta com uma única contribuição à conversa tinha uma expressão tranqüila, com rugas nos cantos dos olhos, que pareciam descansar sobre uma outrora, “corada bochecha”, neles ainda haviam brilho, mais manso e terno que talvez o tenha sido no passado, mas nem por isso menos belo. Mas o que mais me chamou atenção foram seus lábios, estes repolsavam tranqüilos numa posição que lhe parecia familiar, confortável, com uma intimidade que só o tempo traz, eles pareciam sorrir, mesmo quando calados, e até durante seu rápido e doce comentário – “...Deus queira que estejam errados.”


Então eu compreendi, as rugas são os músculos de um atleta, o rosto. Passamos a vida inteira nos preparando para uma prova final, nesta prova medirão como vivemos, haverão as rugas da impaciência, da intolerância, da crítica, da piedade, do afeto, do amor. Nisto está a beleza da velhice, em expressar nestas rugas a forma como se viveu. Por fim continuaremos sendo medidos por nossa beleza, mas esta não se conquista com cremes ou plásticas, esta estará expressa por nossos sentimentos, nosso comportamento durante toda a vida, esse sim será o responsável por desenhar quem somos, e por ensinar aos que virão que suas escolhas deixarão marcar, não apenas nos outros ou no mundo mas principalmente em nós. Estas marcas nos definirão.


Não existe portanto um velho feio e enrugado, mas as marcas de uma juventude vivida sem cuidados, os mais importantes, os que tratam da alma humana.

25 de set de 2009

Obrigada Turma 138



Nunca parei para pensar no efeito que tenho sobre as pessoas.


Normalmente sei o efeito que exerço sobre pessoas próximas, que conheço, ou depois que me apresento. Ou seja, há sempre algum esforço empregado, não há uma gratuidade.

E não sejamos hipócritas, isso é natural do ser humano, mesmo quando agradamos um estranho, o fazemos por algo, que seja para nos sentir bem, ou para quebrar o gelo e conhecer alguém diferente, mas nunca o fazemos sem propósito, por mais simples que o seja.

Pois bem, e as pessoas que não “planejamos”, aquelas que nos percebem quando não estamos olhando, algumas vezes até as notamos mas consideramos que seus interesses, mundos ou círculos não nos incluem, isso não nos chateia, apenas consideramos que “não há um porque” nos aproximar. Mas um dia uma dessas pessoas deixa claro que nos notou, que fizemos a diferença, que ela nos observa a distancia, e que isso é importante pra elas. Não estou falando de interesse romântico ou profissional, mas do interesse puro e simples por um outro ser humano, como ele é, assim, sem planejar ser. Interesse genuíno, real.

Só o que posso dizer é que descobrir-se notado assim, é um presente, presente tão imensurável que te desperta então a felicidade de saber-se aceito e admirável sem qualquer esforço, simplesmente por ser você. Se você ainda não experimentou esta sensação, prepare-se para ela, pois ela transformará sua vida, a forma como você olha para as pessoas que passam por você, no seu dia-a-dia, no seu trabalho, nas ruas.

Como saber se já aconteceu com você??? Você saberá, mas, sugiro um exercício diário, ao andar por ai, passe a olhar todos nos olhos, não mire mais o vazio.

9 de set de 2009

Vexame e Ofensa

http://www.youtube.com/watch?v=fqrHUUkZ3mQ

Agora que todos estão quase esquecendo vou fazer apenas uma pergunta e uma constatação:

1 - O público ridículamente aplaude, e o locutor agradece.
2 - Aquelas guardas fardadas assistindo a tudo não teriam de tê-la impedido de continuar?

Ainda tem gente na mídia afirmando que o problema é que o hino é muito longo e difícil... não vou nem comentar esse absurdo.

5 de set de 2009

O Sorriso de Kaique

O carisma é uma dádiva.
Sem dúvida alguma é um dom nato, presente de Deus a poucos escolhidos para passarem pela vida brindando as pessoas com o prazer de sua presença, seu favor, sua atenção e sua luz natural.
Na maioria das vezes conhecemos essas pessoas, mas com alguma distância, normalmente são pessoas de destaque social, algumas políticas outras artísticas, mas sempre personalizadas de que admiramos de longe.
Mas eu tenho a benção de ter uma destas pessoas em minha vida, ela ainda não sabe o poder que este carisma lhe trará, usa-o de forma faceira, moleca e radiantemente.
A habilidade de sorrir de tudo, de fazer as pessoas a sua volta sempre se divertirem faz do carismático alguém a ser seguido. O carismático não pede nem manda, ele inspira, as pessoas fazem o que for preciso para que ele fique bem, sem que ele tenha necessidade de dizer o que é preciso.
A liderança que o carisma traz é a mais suave que se pode assistir, aos carismáticos as discussões são poupadas, porque ele as apazigua antes que se tenha delas necessidade.
Ao carismático não é preciso criar oportunidades, porque o mundo se abre a ele,basta que ele faça menção em explorá-lo.
Há diversos cursos para nos ensinar a falar em público, para nos preparar para ser líderes, para nos ensinar a comandar, para desenvolver nossa elegância, mas nenhum para nos ensinar a ter carisma, nem mesmo os marketeiros são capazes de ensinar ou “maquiar” um carisma.
O carisma não é herdado, é nato, como digitais, ninguém absolutamente ninguém consegue ter o de outrem.
Portanto, a mim cabe agradecer, ter a benção de uma longa convivência ao lado de alguém que tem carisma, e ainda mais a benção por poder ver esse carisma desenvolver-se e estabelecer-se num brilhante e promissor futuro.

2 de set de 2009

Têm amigos que te iluminam o dia.

Daqueles que não esperam convite, aparecem porque estavam com vontade de te ver, não te enviam um e-mail ou dão uma ligada, simplesmente se arriscam, tocam sua campainha porque a vontade de desfrutar de sua companhia os faz ser otimistas e saber que você estará lá para atender. Não esperam uma data especial, eles aparecem e fazem ser especial, fazem você especial.
Amigos assim estão dando uma passada rápida, mas ficam por horas, dão importância a este tempo que eles não planejaram em sua agenda, mas que é o mais importante do dia. Riem fácil e francamente, se importam . Conversam com você por horas a fio, iniciam vários assuntos e não terminam nenhum, porque há tanto o que conversar e compartilhar, mas o importante não é tudo o que há por ser dito, sem o que ficou por dizer, mas apenas o estar ali, jogando conversa fora no meio de um dia qualquer, sem um motivo qualquer, só porque deu vontade, só porque é seu amigo.
Hoje observei que não faço isso desde que saí do ginásio, só vou a busca dos meus amigos quando há um “objetivo”, um convite, um aniversário, uma razão daquelas que merecem ser agendadas. Há muitos anos não saio de casa apenas porque estou com vontade de me sentar e papear com um amigo. Me envergonho disso. Meu Orkut tem tantos deles, “amigos”, envio e-mail’s para todos, na maioria em grupos: Meninas, Rapazes, Faculdade, empresa tal, empresa X, colégio, família...
E ainda assim tenho a benção de receber a visita de amigos que simplesmente vieram me ver, apenas pra dizer oi, sem qualquer outra razão.
E eu ainda estou buscando razão???
Ora essa é a melhor e mais importante de todas, ver os amigos porque eles nos iluminam o dia, porque nos fazem sentir bem, nos encorajam, nos fazem rir, compartilham uma vida conosco em minutos eternos e maravilhosos.
Tenho agora uma vontade enorme de relacionar todos os meus amigos e visitá-los um a um, conhecer os virtuais, apresentar uns aos outros, entrelaçar afinidades, multiplicar amizades.
O tempo inteiro nos vemos buscando ampliar nossos resultados, estabelecer network, ser influentes e bem relacionados com quem possa nos auxiliar na selva profissional que se ergue cada vez mais densa e fechada, mas ...
Não estará nosso sucesso relacionado as pessoas que se beneficiam apenas com nossa presença? Aquelas que não nos perguntam sobre o que fazemos mas sobre como nos sentimos. Esta é a verdadeira rede de importância em nossas vidas.
Não quero mais fazer network, mas netconfort (sic), quero meus amigos em minha rede na varanda e não no Orkut.

1 de set de 2009

FORA AOS MEDÍOCRES I

A modéstia é a muleta dos medíocres e o adereço dos hipócritas. Phoenix Mistyca ...

Odeio gente modesta.
Gente modesta é tudo, menos humilde.
Não há nada mais hipócrita que a modéstia.
A educação religiosa de forma geral, seja ela ocidental ou oriental sempre ensina que o controle do ego é a chave para a elevação espiritual. Eu também acredito nisto, pois o maior pecado segundo a Bíblia está na afirmação do “eu sou”. Mas discussão teológica a parte, vamos partir a aplicação deste ditame social.
Desde muito cedo aprendemos a usar o “imagina”, como resposta a qualquer elogio que se teça a nós, aprendemos que é muito feio chamar a atenção nos eventos sociais mais simples, embora sempre que possível nossos pais nos peçam para repetir aqueles feitos íntimos diante de visitas para demonstrar nossa “habilidade infantil”.
Então crescemos, nos tornamos adultos nos esmeramos em ser alguém melhor, anos de estudos, estágios e empregos modestos para alçar uma posição profissional de sucesso, e quando o conseguimos, e até durante todo esse caminho, sempre que alguém elogia nossos esforços, feitos e resultados, achamos mais adequado usar o “imagina” a agradecer e receber o êxito que tanto buscamos.
É tão controverso a mesma sociedade que nos diz para ser o melhor nos ensinar a usar da “modéstia”. Ao observar as pessoas de destaque e sucesso vejo que elas foram contraventoras desta regra social, os exibidos tornaram-se artistas, os reclusos ótimos escritores, os audaciosos brilhantes empresários e por ai vai, e quando são convidados a estrelar uma capa de revista seja a FORBES ou a PEPLEO ninguém se faz de rogado e diz, “imagina”.
As pessoas de sucesso agradecem, e desfrutam de toda a gloria que fizeram por merecer, elas sorriem satisfeitas ao receber um prêmio e o ostentam em suas estantes e paredes.
Modéstia é mania de país subdesenvolvido, que castra touro para que ele pense que é boi manso.