26 de mai de 2008

Ter ou não ter...

Não eu não vou falar sobre bens e o paradoxico da moral.

Estou falando em parir, trazer filhos ao mundo, constituir familia no sentido social da palavra, a célula matre.

Li um comentário recente em uma comunidade no ORKUT, que dizia, "não tenha filhos, em 20 anos o mundo estará pior"

Nossa que máxima, com a devida permissão literaria afirmo que o autor da frase errou grandemente, afinal, o mundo está ruim desde Caim e Abel, mas a ordem crescer e multiplicar permanece... calma, não entrarei em meritos religiosos.

Quero realmente divagar sobre a questão da esperança e da responsabilidade que cabe aos pais, e não só aos biológicos, mas sim e primordialmente aos patológicos, sim, há pais que o nascem antes mesmo e as vezes sem nunca tê-lo sido biológicamente.

Não serão nossos filhos nossa única e real contribuição para um mundo melhor? Se considerarmos que ao buscarmos o melhor de nós mesmos para que possamos lhes oferecer o exemplo sublime da alma humana busquemos então melhorar o mundo???

Sei que também cometemos erros, que há filhos que se desviam do mérito de amor dedicado por seus pais, mas ainda assim, nossa real contribuição ao mundo não será a esperança de gerar um ser humano que nasce com o potencial real de poder MUDAR O MUNDO?

2 comentários:

Anônimo disse...

Tudo verdade. Exceto no que se refere ao comportamento da manada. O mundo nunca teve tanta gente consumindo tanto e tendo com maior valor de referencia exatamente o consumo de bens materiais (o que não significa que não haja excessões). Até 2050 ou provavelmente antes, a população do planeta terá dobrado.

Luiz Prado disse...

D^uma olhada em www.luizprado.com.br. Na área de busca, procure Limites para o Crescimento I e, depois Liites para o Crescimento II. Depois, sugiro Real Politik Ambiental. E aí você verá as razões das dúvidas sobre ter filhos neste momento.