13 de fev de 2008

Réplica

Bronquearam-me pela evidente falta de sarcarmos nas ultimas postagens.
Venho então responder aos que sentem falta da acidez que me distingüe.
Minha acidez não se extinguiu, apenas está fora de época... considerando-a um fruto da minha vivencia, posso dizer que há períodos de safra e períodos de plantio.
O início do ano é sempre parecido com o plantio. Gosto do verão e ele me ilumina o humor, deixa-me mais complacente com o universo ao meu redor, parafraseando Marisa.
Digamos que por este ser o período que correspondem as minhas férias, posso retirar-me de forma a conviver apenas no mundo que me afaz, sem necessidade veemente de destilar meu veneno.
Mas isto não o reclus, muito pelo contrário, o matura.
Depois do bote a naja do deserto também necessita recuperar-se para um novo ataque.
Mas a que saber-se que sua letalidade não se perde e nem tampouco amedronta menos por esse periodo que se reserva a recuperação.
E acreditem, o período de plantio está por findar-se, e muito em breve, assim como as chuvas de verão anunciam o início de seu fim, também anunciam a chegada dos dias que me trazem muito o que azedar.

Nenhum comentário: