7 de fev de 2008

Família Emo

Táva analisando o comportamento das pessoas e... bem, na verdade eu adoro fazer isso. De forma bem descompromissada e até meio pre conceituosa, adoro simplesmente sentar em um lugar público qualquer, shopping, praça, estação do metrô e simplesmente me sentir pronta a julgar os passantes por sua postura, por sua aparência por seu simples existir naquele lápso de tempo em que cruzam minha linha de visão.

Esta lente a que submeto as pessoas, me dá um prazer que não saberia descrever, nenhuma monotonia me abate, simplesmente passaria horas ali apenas observando.

Outro dia num desses roupantes de psicanálise express, observava um novo formato de familia, chamo assim porque jamais, em toda minha vida imaginava que... bem vamos adiante.

Via um casal de EMO, acho que é esse o título desse novo movimento juvenil, e este casal estava com uma linda criança, era uma familia formada, passeanda e almoçando no shopping assim como eu.

Este casal me intrigou.

Sempre julguei estes movimentos, diretamente relacionados ao estílo musical da vez, como um roupante adolescente, isoladamente na adolescencia observava-se este tipo de manifestação singular por suas características de afronta e rompimento com o usual no que se refere a comportamento e principalmente a vestimenta. Mais um movimento como o punk entre outros.

Continuando a analisar este fato isolado, o casal do shopping, acabei por me lembrar de outras familias nesta configuração com as quais já havia cruzado antes, e foram muitas e uma pergunta me tem atormentado desde então.

O último movimento "rompedor" do qual se tem conhecimento notoriamente histórico, foi o movimento Hippie, e ao procurar traçar paralelos entre estes movimentos, observei que os hippies, tinham uma proposta filosofica comportamental, social e politica, eles tinham um ponto de vista estabelecido sobre como fazer um mundo melhor a partir do seu principio de convivência. Vemos ainda hoje casais seguidores da filosofia hippie aplicando-a a ainda de forma efetiva em suas vidas, vemos muitos filhos destes casais darem seguimento a filosofia de seus pais, muitos até em suas posturas profissionais, adotando profissões que buscam a aplicação dessa filosofia em diversas áreas da sociedade.

A pergunta que ainda não calou foi, o que estes novos movimentos tem para deixar como legado? Veja que não os estou julgando sumariamente, simplesmente questiono o que não sabemos sobre eles. Os hippies tinham não apenas a música mas todo um comportamento enquanto sociedade insitucionalizada que deixava claro ao mundo o que eles propunham e buscavam. E hoje na era da informação completa e absoluta em que todos temos conhecimento e ciencia de tudo, ainda não, pelo menos eu, o que estes jovens buscam, querem e que legado eles pretendem deixar às suas gerações?

Fica aqui a pergunta e espero que alguém possa me ajudar. Quem sabe ao ser melhor informada eu não possa ajudá-los a elucidar outros como eu.

Nenhum comentário: