25 de fev de 2008

O vício da aparência.

Quanto é duro sustentar a aparência.
Santo Deus, me assusta a quantidade de pessoas que se mantém falsamente presa a uma imagem que constroem como sendo sua imagem real. E não falo de aparencia física, falo da aparência moral.
De quem se diz acima de tudo, porque é inteligente, justo, moralista, cheio da razão.
Hunf, santa hipocrisia. A única certeza de que essas pessoas deveriam se munir é a de que são feitas da mesma carne podre que todos os demais.
Seja lá qual for a sua pregação, ao morrer vai feder como os outros, como aqueles que se passaram por idiotas ou medíocres diante de você pelo simples fato de terem mais humildade e sabedoria que sua estúpida arrogancia ao julgar-se melhor.
Esta semana um amigo me brindou com uma frase para ti, hipócrita detentor da justica... " O esperto por natureza fala, por natureza, o sábio não fala"

Cuidado com o que acusa, pois o mesmo peso que usa te tomará por medida.

Antes de determinar quais as conformidades morais do seu universo, não esqueça de medir exatamente o buraco da agulha por onde depois tentará passar.

Antes de ver o erro e julgar a condenação, meta-se com teus pecados, e veja o quanto já readaptou essa sua "aparência" para que pudesse viver mais confortável.

Não critique quem deve, antes de saber a sua real razão de ser devedor, não aponte quem escorrega, antes de medir a altura do salto que chafurca na lama.

Nenhum comentário: